domingo, 5 de dezembro de 2010

Para Lucas Moura.

Ele entrou pela janela, numa noite de tempestades dentro de mim. Entrou, como fazia há 8 anos. Mas, dessa vez não foi para assistir aos filmes antigos chatos, como a gente sempre fazia, ele veio porque sabia que eu estava sofrendo. Moura, sabia que meu coração estava dilacerado, afinal Peter avisa indo para o outro lado do mundo. Mas, ainda assim ele esteve comigo. Sem falar nada, ele se levantou e veio até a mim, que estava na janela, com lágrimas nos olhos e saudades fortes destruindo o meu coração. Ele entendia que eu estava sofrendo, entendia. E ficou de pé ao meu lado, sem se mexer, colocando seus braços em volta de mim, num abraço acolhedor, tentando absrover a minha dor, com esperanças de tirá-la de mim e fazê-la sua própria dor. E disse: 'Estou com você, sempre!'.
--
- Para meu melhor amigo, Lucas Moura. Eu não sei imaginar meus caminhos sem você por perto. A música foi escolhida por ele. Obrigada por ser tudo isso que é pra mim. Eu te amo, muito.

6 comentários:

  1. oooi, eu adoro o teu blog e lá no meu blog tem um selo pra você, depois da uma olhada... http://mmaisdoquepalavrass.blogspot.com/2010/12/vim-olhar-o-meu-blog-e-adivinha-o-que.html
    beijo e continue assim *:

    ResponderExcluir
  2. Lais que texto lindo!
    Parabéns pelas palavras... só elas para nos ajudarmos em dias dificeis.

    um grande beijo

    ResponderExcluir
  3. ai que texto lindo!
    te coloquei em uma brincadeirinha do meu blog, olha: http://girlsmorethanwords.blogspot.com/2010/12/jogo-dos-7.html

    beijinhos :♥

    ResponderExcluir
  4. Eu sabia bem como era ter um amigo assim <3

    Texto muito lindo.
    Beijos ;*

    ResponderExcluir
  5. É mesmo muito ruim sentir saudades de alguém, mas ter um ombro em que chorar sempre melhora as coisas. Que bom que você pode contar com um amigo como esse!
    Bom, sou sua mais nova seguidora, e espero estar aqui com bastante frequência.

    ResponderExcluir

Pior do que uma mulher que fala o que pensa é uma mulher que escreve. (Tati Bernardi)